Arquivo da tag: #ancestralidade

O que você pensa sobre seus antepassados?

…um refletir sobre os que tiveram aqui antes de nós

Venho de uma família onde pouco foi falado sobre nossos antepassados, não sei dizer a motivação, simplesmente não se falava. Cheguei a conhecer meus Avós e Avós e minhas duas Bisavós as quais tenho pouquíssimas recordações.

Talvez sua história seja parecida com a minha ou até pode ter sido mais iluminada no sentido de darem a luz aos seus questionamentos, porém, você conheceu a história de seus antepassados? Da onde vieram, por quê vieram, que eram eles na sombra do dia e na luz da noite.

A história de nossos antepassados interferem em nossa história. Muitos de nós, de nossos pais repetem histórias sucessivamente. Energias de ódio, rancores, tristezas, responsabilidades, discórdias, cobranças ou compromissos selados vindos de geração em geração…

Lembre-se: tudo é energia!

Portanto, vamos nos permitir a soltar com amor no coração. A nossa mente cria nosso próprio universo, então criamos um ambiente familiar mais harmônico a partir de agora:

Oração de perdão, carinho, desapego e libertação…

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo. Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim. Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.

⠀Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar. Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

⠀Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida.Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, conscientes de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro, os amo e reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.

Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros. Aprendendo através, e somente através do AMOR, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.


Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história; porque me conheço, sei quem sou, o que eu sinto, o que eu faço e por que faço. Me respeito e me aprovo.


Eu honro a Divindade em mim e em você. Somos livres.”

Essa antiga bênção foi criada em um antigo idioma Nahuatl, falado desde o século VII na região central do México.

logo ninfa do amor

Arquearia Meditativa

por Fernando Augusto Schroeder de Paula e Souza

Arquearia, uma prática Espiritual, Profunda e Natural

O arco, a corda e a flecha são três partes de uma coisa só, assim como nós somos partes de algo maior, e hoje vou contar um pouquinho sobre arquearia meditativa. Eu Fernando sempre carreguei comigo a certeza de que não estava só, mesmo nos momentos que sozinho eu estava. Um belo dia ganhei de aniversário de 18 anos o arco e a flecha!

Minha experiência fez eu quebrar muitas flechas atirando com o arco, mas ao longo de quebrar flechas acertar o alvo ou não, eu percebi muitas coisas.

Percebi que consegui me sentir internamente o meu respirar até mesmo os meus batimentos. Percebi que poderia também sentir externamente tudo que me cercava ao mesmo tempo que minha mente estava em silencio. Eu estava focado no alvo. Conseguia perceber o vento o som das folhas e de toda a vida da natureza ao meu redor. Desse dia em diante soube que atirar com o arco e flecha não é somente puxar uma corda e soltar uma flecha.

Eu pratiquei artes marciais ao longo de minha juventude, com o tempo de arquearia fui somando as coisas, mas nem tudo são flores.

Por motivos que nem lembro deixei o arco parado por muito tempo, e acabei lotando minha mente com os problemas do dia a dia. Nesse período também já havia abandonado as artes marciais. Porém, em meu coração e mente, jamais esqueci o que havia aprendido. E, principalmente o que havia sentido com o arco e flecha.

Tiro com arco: O retorno para arquearia

Em 2019 voltei com a pratica da arquearia juntando o meu sentir e meditar, isso foi graças a uma mulher e mentora:


Foi graças a você Scharlene Luciara Amarante (Ninfa do amor). Ver você atirando pela primeira vez fez meu coração pulsar e relembrar toda a sabedoria guardada aqui no fundo de minha alma. Te ver crescendo como arqueira relembrou de mim e de como eu sou ao atirar.

F.A.S.P.S.

Aí então, conheci Scharlene e deixei ela atirar para observar.

Na primeira vez apenas disse segure assim e atire. Ver o instinto individual é importante na arquearia meditativa.
Logo na primeira vez ela demonstrou a sua própria forma de atirar.

E com o tempo fui ensinando sobre as técnicas variadas de tiro bem como concentração e focar. Mas sempre, deixei frisado, que o importante na arquearia meditativa é conhecer a si mesmo. Pois trata-se de equilíbrio interno sendo expressado no tiro externo. Assim consegui ver Scharlene e seu jeito de atirar fluir livremente. Sempre melhorando em seu próprio caminho.

Hoje estamos juntos praticando a arquearia meditativa e desenvolvendo em cada um de nós nossa conexão com a ancestralidade pessoal, bem como equilíbrio, concentração, agilidade e percepção.

O convite

Conecte-se a vida ao seu redor a si mesmo, a nobreza e pureza do arqueiro(a) interno e da arquearia meditativa.

Convidamos a todos que queiram aprender, sentir e vivenciar, venham meditar e atirar conosco na arquearia meditativa.

Agora Scharlene e eu, vamos compartilhar um pouquinho dos momentos vivenciados nessa prática para deixar um gostinho que também quero!

Rituais: você pratica algum?

Pensando muito em rituais que tenho visto sendo divulgados e na onda do Sagrado Feminino, temos percebido uma avalanche de pessoas dizendo para se reconectar. Ahh é claro, certamente sou uma delas!!

A grande diferença é que quando falo para se reconectar, estou falando para que você inicie um processo de autoconhecimento. Em outras palavras, pode ser: busque sua verdadeira essência…Quem sabe…Divino…Ou que tal Interior ou Âmago?…talvez estamos falando também dos registros akáshicos.

A realidade é que nos deparamos com pessoas passando para frente (divulgando) rituais e mais rituais e no entanto, estes estão pautados em muitos livros mais antigos.

A sabedoria ancestral é incrível e quando mais voltamos para trás, mais caminhamos para frente, porém, existem  inquietações!

Não tenho nada contra os rituais em si, porém questiono o propósito e a evolução em nível energético e espiritual de muitos deles, isso é fato! Pensando em que o Ser Humano vem num processo de evolução e a Terra concomitantemente, onde na mesma linha de pensamento, devemos buscar uma sintonia sútil, ou seja, mais fina..mais leve.

Fica a reflexão que considero necessária, ou seja,  a indagação por parte de quem irá executar rituais:

  • precisa mesmo ser assim?
  • por acaso já existe algo que utilize materiais e/ ou energias menos densificadas para execução do ritual?

Consciência

Quando temos consciência do mundo energético, sabemos que quando utilizamos matéria mais densa como sangue, seja de animal ou menstruação, a energia é mais física. Portanto, volto no campo na evolução.

Posso exemplificar a grosso modo, o ritual com sangue menstrual “plante sua Lua” que foi muito falado recentemente pela polêmica com a atriz Bianca Bin que realiza a prática deste ritual.

Eu respeito a prática, entendo os motivos, principalmente de reconexão com o feminino, que pensando em nós, mulheres, faz sentido e sentir.

Eu tenho enorme respeito pela Natureza Sagrada…Mãe Natureza…Gaia ou outras denominações; e bem por isso questiono, o que estamos entregando a ela?

Já, quando pensamos no lado energético e espiritual, vemos seres necessitados buscando alimento e ao invés de estarmos ofertando luz, apoio e encaminhamento o que recebem é sangue (energia mais física). SIM…é isso mesmo que você pensou! Espíritos se alimentam. 

Aí ficam as perguntas que não querem calar:

  • Você sabe transmutar energia?
  • Você sabe realmente fazer uma proteção (campo magnético)?
  • Consegue limpar o ambiente antes de iniciar o ritual, encaminhando os serem necessitados?
  • Você sabe com quem está se conectando de verdade?

A ideia aqui está longe de ser gerar medo e sim: a CONSCIÊNCIA.

Todos somos livres para fazer o que quisermos e como quisermos. Todos nós somos livres e aptos para buscarmos o conhecimento acerca de nossos atos e de como influenciamos o meio em que estamos inseridos.

Vale lembrar que somos todos um ou simplesmente: conectados!

#reflexão

Abaixo, um pouquinho mais de reflexão em vídeo a respeito dos rituais.❤

No primeiro vídeo, minha pequena e breve contribuição para o Bem Maior. Já no segundo vídeo, eu convidei e ele aceitou, sendo assim, temos a contribuição de pensamento de Léo Raiz do Vento, que em alguns momentos é parceiro de trabalho.

 

Espero que gostem!

Continue lendo Rituais: você pratica algum?